Thursday, April 19, 2012

DESEMBARGADOR PEDRO BERNARDES: Exemplo de Leitura


Na minha coluna deste mês quero contar-lhes a história do Desembargador Pedro Bernardes que atualmente leciona na Faculdade de Sabará. Ele foi o conferencista da última Aula Magna da respeitada Faculdade de Sabará e contou aos presentes sua história utilizando-se do tema “Princípios Motivadores da Carreira”.
Conheci o Prof. Pedro Bernardes na minha sala da administração dessa faculdade, quando iniciamos uma salutar amizade conversando sobre nossos alunos e sobre intercâmbio internacional. Antes disso, já tinha conversado sobre ele com meu amigo, o Dr. Fernando Gontijo, um dos melhores se não o melhor Advogado da área de família do nosso Estado, que rasgou elogios ao Desembargador dizendo que nossos alunos e a Faculdade estavam com um dos melhores professores do país em seu quadro docente. Ao contar isso para o Desembargador, ele devolveu o reconhecimento ao Dr. Fernando Gontijo exaltando seu pai, o falecido Dr. Segismundo Gontijo e sua irmã Dra. Juliana Gontijo.
                Dr. Pedro é o tipo do brasileiro do qual nos tornamos fãs como somos de Ayrton Senna, Antônio Ermírio de Moraes, Roger Agnelli, Juscelino Kubitschek e Oscar Niemeyer. Ele é um desses que balizaram sua vida em muito estudo, em trabalho árduo e simplicidade, elevando o povo brasileiro em todo o mundo.             
Pois bem! Ele iniciou sua palestra contando que sua família, em São Gonçalo, era muito pobre e até aos 14 anos nunca tinha usado um calçado e que não existia televisão em sua residência. Segundo ele, não se sabe como, mas um dia apareceu em sua casa um livro com o título Pinóquio, escrito pelo italiano Carlo Lorenzini e que esse livro foi responsável por fazê-lo quem ele é hoje. Disse ele, que tal livro contava a história de um personagem chamado Pinóquio que havia mudado para um lugar onde não precisava estudar. Porém, suas mãos e pernas viraram patas e cresceram nele um rabo e um focinho, tornando-se um “burrinho”.
Dr. Pedro contou que chegou a largar os estudos na 8ª série para trabalhar, mas lembrando-se da história de Pinóquio retornou a eles lutando contra todas as dificuldades. Disse que certa vez foi convidado, por uma Professora, para ir ao cinema, mas recusou dizendo não gostar. Ela o questionou perguntado se ele já tinha ido ao cinema alguma vez e ele disse que não. Mas... Quando foi, acabou tendo um grande problema, pois se apaixonou pelo cinema e não queria mais deixar de freqüentar o local. Mudou-se para Belo Horizonte e foi morar no bairro Floresta, trabalhando como mecanógrafo e dividindo um quarto de pensão com porteiros, pessoas simples que ele adorava. Passou no vestibular da Faculdade Milton Campos e tornou-se o 1º Desembargador da História dessa Faculdade. Como tinha que pagar a mensalidade e quase não tinha dinheiro, chegou a pesar 49 quilos por passar fome! Contou que na sua cidade havia pegado o hábito de ler andando. Por isso, em Belo Horizonte, quase foi atropelado por duas vezes. Só assim deixou de ler andando! Além de contar sua história, explicou o significado de sorte, dizendo acreditar nela somente como um encontro de oportunidade com o estar preparado no exato momento que esta aparece. Sobre o fracasso, explicou que apesar de não ser bom, deve ser aprendido, citando o caso de Thomas Edson na invenção da lâmpada. Destacou, também, a importância de se ter pensamento positivo sempre e de se estabelecer metas - algo que eu venho fazendo a cada réveillon - para serem cumpridas. Explicou a importância de aprender a teoria, algo relegado por muitos em obediência à ênfase na prática. Finalizou destacando a importância de se ter fé em Deus!
                No entanto, a lição que Dr. Pedro nos dá é a de que devemos ler, ler e ler, o tempo todo! Infelizmente esse hábito é pouco praticado pelo povo brasileiro que ocupa uma das últimas colocações no ranking da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico quando destaca que, em média, o brasileiro lê menos de dois livros por ano e nossos vizinhos argentinos lêem em média seis! Nas primeiras colocações estão Xangai, Finlândia, Hong Kong, Canadá e Japão. Isso explica suas excelentes condições sociais, econômicas, culturais e financeiras! Então cabe aos pais, em nossa infância, desenvolver o hábito de leitura, como minha Nonna que “me obrigava” a ler, dizendo que eu só poderia jogar bola quando acabassem os deveres e as leituras. Cabe, também, aos professores, motivar o agradável hábito que abre as mentes para coisas jamais imaginadas, além de desenvolver a capacidade de crítica sobre notícias e fatos diários e a compreensão das teorias já postas. Vale divulgar que o colunista deste jornal, Rodrigo Lima, que é nosso Professor atualmente, está implantando o “Clube do Livro” na Faculdade.
Além disso, a leitura proporciona, incontestavelmente, melhor desempenho profissional, maior reconhecimento e melhores posições no mercado de trabalho. Obviamente, cada um deve ajudar os pais e os professores mostrando interesse e mantendo o agradável hábito de ler por toda a vida!
Sendo assim, minha dica pro primeiro livro: BENETTON. A família, a empresa e a marca, um dos melhores que tive a oportunidade de ler! Um abraço e boa leitura.

1 Comments:

At 6:41 AM, Blogger severo amigo said...

Tudo o que tenho lido sobre o desenbargador,faz exelentes mensões sobre ele seu carater e integridade,sinto que ele realmente é um homem do povo, comprometido com o que é justo. Espero sinceramente poder continuar o vendo como um guardador da justiça e da verdade ou seja com aqílo que é.

 

Post a Comment

<< Home